Rua Wilson de Almeida-Nº 259-S / Bairro Ouro Verde, Nova Olímpia, Cep:78.370-000
Fone:(65) 3332-1130 Atendimento: 07:00 às 11:00hrs e das 13:00 às 17h00 hrs

Ludicidade com o Tangram

Ludicidade com o Tangram

 

SANTOS, Angela Oliveira¹

 SANTOS, Ione Dias de Oliveira²

  OLIVEIRA, Odair Dias de³

                                                      

 

RESUMO

 

Entendendo que a matemática pode ser fascinante para o aluno e que o modo como é trabalhada contribui para isso, elaboramos o presente plano de trabalho, utilizando o jogo do Tangram, bem como diferentes atividades elaboradas a partir dele, com os alunos do 3º Ano do 1º Ciclo e 5º e 6º Anos do 2º Ciclo da Escola Municipal de Educação Básica “13 de Maio” localizada no município de Nova Olímpia - MT. O referido artigo tem como objetivo, mostrar que o jogo do Tangram é um recurso didático bastante rico, de modo que venha contribuir para o raciocínio lógico, a criatividade e o gosto pela Matemática. Nesta perspectiva, visa proporcionar a construção do conhecimento matemático do aluno, além de estimulá-lo na busca de soluções que, neste caso, não são padronizadas. Desse modo é cada vez mais importante possibilitar atividades envolventes e desafiadoras numa ação pedagógica mais direcionada para a aprendizagem do aluno.

 

Palavras-chave: Jogo. Tangram. Raciocínio lógico. Construção.

 

____________________________

[1] Professora da Educação Básica, habilitado em Pedagogia pela UFMT (NEAD). SEMECETEL Nova Olímpia – MT.

2 Professora da Educação Básica, habilitada em Pedagogia pela UFMT (NEAD), pós-graduada em Alfabetização e Letramento pelo Instituto Prominas. Email: idola13@hotmail.com. SEMECETEL Nova Olímpia – MT.

3 Professor da Educação Básica, habilitado em Pedagogia pela UFMT (NEAD), pós-graduado em Gestão Escolar pelo Instituto Prominas. Email: odairoliveira6@hotmail.com. SEMECETEL Nova Olímpia – MT.

Introdução

       A Matemática é muito importante. É parte integrante da construção do conhecimento presente em nosso processo de vida, sendo uma das ciências fundamentais para o ser humano, pois, convivemos com conceitos matemáticos desde que nascemos. Porém mesmo se tratando de um conhecimento histórico importantíssimo, a maior parte das pessoas apresenta certa resistência por essa disciplina.

       É uma ciência que requer raciocínio e uma grande capacidade de abstração; dependendo da forma como é ministrada pode fascinar ou causar medo. Mostrar aos alunos o quanto pode ser divertido e interessante o seu aprendizado, tem sido um desafio para nós professores.

       Levando em consideração a dificuldade de grande parte dos alunos no aprendizado da matemática, acreditamos que os materiais manipulativos, especialmente os jogos, contribuem muito para a formalização dos conceitos, facilitando o processo de ensino e aprendizagem.

       Citamos como exemplo o jogo do Tangram que exerce grande atração tanto em crianças como em adultos, pois além da criatividade, com ele se explora o pensamento lógico na composição e transformação de figuras. Desse modo o jogo do Tangram tem sido utilizado por muitos professores de Matemática como um aliado no ensino da Geometria. Mas suas aplicações não é usado somente no estudo das formas geométricas, pois pode ser também usado como um jogo de construção e fixação de diversos conteúdos em todos os níveis de ensino.

       Para melhor entendimento fizemos uma explanação sobre esse jogo na sala de aula, usando recursos de livro didático, pesquisas nas aulas de Informática e na hora do conto uma lenda sobre como surgiu esse jogo.

1 – UM JOGO CHINÊS

       O Tangram é um quebra-cabeça formado por sete peças que tem formas geométricas bem conhecidas. São cinco triângulos, um quadrado e um paralelogramo, originados da decomposição de um quadrado. Não se sabe ao certo quem inventou e como surgiu o Tangram, apesar de haver várias lendas sobre sua origem. Em Chinês, é conhecido como chi Chiao Tu, ou as Sete Peças Inteligentes.

       Atualmente, o Tangram é utilizado por todo o mundo, em especial por professores no ensino da Geometria Plana, Matemática, psicologia e, principalmente, na pedagogia. Apesar de passar uma simplicidade no manuseio, ele se revela um jogo de difícil resolução por exigir muito raciocínio lógico.

2 – CONSTRUINDO o Tangran

       Para começo de conversa, trabalhamos um pequeno texto de como surgiu o Tangram, e no decorrer das aulas usamos também como suporte o livros didáticos de Matemática (Porta Aberta- Matemática 1ª edição – 2011(5º Ano) e Nova edição 2013) (3º Ano) que propõe ao final deste a figura do Tangram.

       Propomos aos alunos que usassem o material de apoio. Em seguida sugerimos que recortassem e colassem o quadrado em um papel cartão, pois assim as peças do jogo ficariam mais resistentes e poderiam ser utilizadas várias vezes. Feito os procedimentos, aguardamos as peças secarem para logo após serem recortadas individualmente.

Descrio: Resultado de imagem para quadrado de um tangram       Construímos assim o nosso Tangram, formado pelas sete peças de formas geométricas já estudadas:

Descrio: Resultado de imagem para quadrado de um tangram

 

 

 

 

https://www.google.com.br/search?q=jogos+do+tangram&biw=1366&bih=607&source=lnms&tbm=isch&sa=X&sqi=2&ved=0CAgQ_AUoA2oVChMI84LLtu32yAIVCRSQCh3JkAmH

Regras do jogo:

1º- é necessário, em cada figura, usar sempre sete peças (nenhuma pode ficar de fora).

2º- as figuras formadas são planas, isto é, as sete peças devem repousar sobre uma superfície plana, como o tampo da mesa.

3º- não é permitido sobrepor as peças.

Para formar uma determinada figura, é necessário concentração, habilidade e sensibilidade. É preciso conhecer bem as sete formas geométricas que compõem o jogo e perceber certas relações entre estas formas e a figura que se deseja formar. Muitas vezes a solução para determinada figura aparece quando se está tentando montar uma outra.

3 – O jogo do TangraM na sala de aula

       O Tangram pode ser usado nas aulas de matemática com diferentes objetivos, pois, esse quebra-cabeça, também conhecido como jogo das sete peças, é utilizado por nós professores como instrumento facilitador da compreensão das formas geométricas. Além de facilitar o estudo da geometria, ele desenvolve a criatividade e o raciocínio lógico, que também são fundamentais para o estudo da matemática.

       Inicialmente é interessante que os alunos apenas brinquem com o Tangram tentando construir diferentes figuras. Propomos o desafio no qual, com as sete peças do Tangram e usando a criatividade, representassem uma casa, um barco e uma pessoa. Feito isso, construíram além do proposto (gato, árvore, coelho, pato e etc).

       Esta etapa é importante para que se familiarizem com o jogo e suas peças, para perceberem algumas relações e identificarem as mais variadas formas. Após esta etapa, enfatizamos as características geométricas das peças do jogo.

       Apresentamos um conjunto de atividades envolvendo diferentes conteúdos de matemática que, via de regra, são trabalhados na educação básica. As descobertas foram um sucesso, pois os alunos criaram variados desenhos, os quais foram usados em produções de texto. Ricas histórias com vários personagens representadas em cartazes surgiram por parte dos alunos.

       Com o Tangram despertamos a escrita e a oralidade dos alunos e, diante disso tivemos a oportunidade de avaliar essas habilidades, porque se sentiram à vontade para escrever sobre suas figuras e, contudo obteve-se ótimas produções de texto e relevantes trocas de experiências a partir das produções.

       O professor pode utilizar o Tangram para trabalhar variados conceitos matemáticos como lógica, frações, área, perímetro, figuras geométricas e suas propriedades entre outros, além de estimular a criatividade. Este quebra-cabeça geométrico milenar está cada vez mais presente nas mãos dos alunos nas aulas de Matemática e pode ser explorado não só no cotidiano da sala de aula, como também pode ser usado o Laboratório de Informática como suporte para trabalhar as diversas atividades a partir do uso do Tangram.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

       É preciso entender que devemos propor ao aluno fazer algo que tenha significado para si mesmo. Porque quando ele percebe a vantagem do seu empenho e entende a importância da atividade, então irá esforçar-se mais para assim ter mais progresso nos estudos. Portanto, é mediante estímulos, instruções apropriadas e informações enriquecidas que a criança assim como o adulto poderá desenvolver as inteligências num alto nível e de forma prazerosa, o que fará com que busque cada vez mais o saber.

       Percebe-se dessa forma a importância de oferecer ao aluno a oportunidade para a busca da construção dos conceitos apresentados, direcionando-o para a experimentação, disponibilizando materiais para manipular e não se prender somente a atividades corriqueiras que muitas vezes não desafiam os educandos a construírem seu próprio conhecimento.

       Consideramos que o lúdico contribui significativamente para a construção do conhecimento. Por meio dos jogos com o uso dos materiais concretos, obtém-se o suporte para a melhoria da construção do conhecimento dos alunos, desenvolvendo assim, as habilidades lógico-matemática, contribuindo dessa forma para a diminuição da insatisfação de estudar esta disciplina.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ReferÊncias

CENTURIÓN, Marília Ramos

Porta Aberta: Alfabetização Matemática: 3º Ano/Marília Ramos Centurión, Júnia La Scala Teixeira, Arnaldo Bento Rodrigues. - Nova edição - São Paulo: FTD,2013.

CENTURIÓN, Marília Ramos

Porta Aberta: Matemática: 5º Ano – Ensino Fundamental/Marília Ramos Centurión, Júnia La Scala Teixeira, Arnaldo Bento Rodrigues. – 1ª edição - São Paulo: FTD,2011.

(http://leminsc.com.br/materiais-didaticos/tangram/)

(http://www.centrovirtualgoeldi.com/paginas.aspx?Menu=areaedu_atividades&opcao=Tangram).

IMenes. Luís Márcio P. e SANTOS. Carlos Henrique dos. TANGRAM: um antigo jogo chinês nas aulas de Matemática. In Revista do ensino de Ciências. São Paulo. FUNBEC. Nº18. Ano 1987. pp.42 – 49.

LETRAMENTO-Pró: Programa de Formação Continuada de Professores dos Anos/Séries Iniciais do Ensino Fundamental: matemática. Ed.rev. e ampl. Incluindo SAEB/ Prova Brasil matriz de referência/ Secretaria de Educação Básica – Brasília: Ministério da educação Básica, 2008.

MATEMÁTICA, revista do professor- 2º semestre de 1987 – nº11, Sociedade Brasileira de Matemática- Rio de janeiro, RJ.

 

 

 

Anexos

Descrio: D:\Pictures\Pictures\Artigo Tangran\CAM02989.jpg

                                         

 

 

 

 

 

 

 

                           Fonte: SANTOS, Ione Dias de Oliveira, Acervo Particular, 2015.

                                                                        

Descrio: D:\Pictures\Pictures\Artigo Tangran\CAM01924.jpg

                                                                               

 

 

 

 

Fonte: SANTOS, Ione Dias de Oliveira, Acervo Particular, 2015.

 

Descrio: D:\Pictures\Pictures\Artigo Tangran\CAM01925.jpgDescrio: D:\Pictures\Pictures\Artigo Tangran\CAM01922.jpg

 

 

 

 

 

Fonte: SANTOS, Ione Dias de Oliveira, Acervo Particular, 2015.

Descrio: D:\Pictures\Pictures\Artigo Tangran\CAM02994.jpgDescrio: D:\Pictures\Pictures\Artigo Tangran\CAM02996.jpg

 

 

 

 

Fonte: SANTOS, Ione Dias de Oliveira, Acervo Particular, 2015.

Descrio: D:\Pictures\Pictures\Artigo Tangran\CAM02997.jpgDescrio: D:\Pictures\Pictures\Artigo Tangran\CAM01929.jpg

 

 

 

 

 

Fonte: SANTOS, Ione Dias de Oliveira, Acervo Particular, 2015.

Descrio: D:\Pictures\Pictures\Artigo Tangran\CAM02999.jpgDescrio: D:\Pictures\Pictures\Artigo Tangran\CAM03000.jpg

 

 

 

 

 

Fonte: SANTOS, Ione Dias de Oliveira, Acervo Particular, 2015.